segunda-feira, 10 de novembro de 2008

1º Meia Maratona de Maringá - Parte 01

Até que em fim. O sonho de Maringá realizar sua 1ª Meia Maratona tornou-se realidade na manhã de ontem e acima de tudo homenageando o saudoso amigo-atleta Antonio Donizete Fermenton. Todo atleta (amador ou profissional) gosta de partipar de um evento desses. Mesmo sendo a primeira edição, já ficou a certeza de que as próximas serão um sucesso de público e participantes. Os organizadores já estão pensando na segunda edição, analisando e buscando formas de acertar o que precisa ser acertado. O Major Lauri, que é um grande organizador de corridas de rua de Maringá (Prova Rústica Tiradentes e Maratona de Revezamento), já viu onde houve falhas e as corrigirá com certeza, pois tem muita competência para isso. Vamos à prova: manhã de domingo (09/11) nublada, temperatura na casa dos 23 graus, muito abafado, humidade do ar bem alta e vento que incomodou um pouco, ainda bem que não tivemos o tão temido sol. Nessas condições, às 8:45 h, começou a disputa para quem iria corrê-la INDIVIDUALMENTE, ou seja, encarar os 21.097 mts. e cerca de 5 minutos depois, foi dado a largada para aqueles correriam a prova no sistema de revezamento, DUPLA (10.550 mts) e QUATRO (5.275 mts). O percurso foi um verdadeiro "engana bobo", parecia fácil, mas ... não que fosse o fim do mundo, longe disso, porém tinha muito trecho de lançante e/ou subida, muito pouco plaino e/ou descida, mas quem quer correr não escolhe terreno, vai e enfrenta todos os desafios, uma verdadeira lição de SUPERAÇÃO. Tive a honra de ter como parceiro nas DUPLAS, meu amigo Ronaldo (alguém tinha correr nessa equipe, hehe), que abriu o revezamento e fechou com o tempo de 36:55 min. aí eu assumi e fechei com o tempo de 38:02 min., ficamos em 4º lugar com o tempo de 1:14:57 h, quase "beliscamos" um "troco", fica para a próxima, porém esta competição serviu para consolidar ainda mais nossa amizade, ainda assim faturamos um belo troféu e uma bela medalha. Vale registrar que o Ronaldinho podia ter corrido com alguém do seu nível, mas não, ele estava desprovido e me deixou muito tranquilo e ainda me disse: Nós vamos lá fazer o nosso melhor e pronto, relaxa. Admirei essa atitude e por fim ainda pediu para ficasse comigo o nosso troféu. SEM PALAVRAS. Ficamos muito gratos à Deus por nos proporcionar mais um grande momento de lazer e pudemos acima de tudo respeitar os nossos limites. Desse modo nós honramos o SANTO DEUS, criador e mantenedor de todas as coisas. Na foto ao lado, acabei de fechar e estou recebendo os cumprimentos parceiro Ronaldo José da Costa, ou simplemente, Ronaldinho.

Um comentário:

Carlos Lopes disse...

Os meus parabéns pela participação