quarta-feira, 11 de março de 2009

Treinos / indignação !!!

Em função do eminente acumulo de atividades no meu trabalho, vou dar uma "sumida" nos meses de março e abril, acredito que volto ao "normal" em maio. Por conta disto, estou fazendo meus treinos em horários alternativos. Como diz um amigo meu: "QUEM QUER FAZER, DÁ UM JEITO; QUEM NÃO QUER, ARRUMA UMA DESCULPA", procuro seguir na íntegra o programado pelo prof. Luciano (principalmente em respeito ao fato dele ter o cuidado em preparar nossas planilhas). Mas a minha indignação fica por conta de algumas pessoas "irresponsáveis" que deixam os seus cãezinhos "dóceis/ferozes" na rua para dar uma passeadinha, sem "focinheira" e soltos ao "bel prazer". O argumento dessas pessoas sempre é de que eles são mansinhos, só querem brincar, coisa e tal. Eu já fui mordido por cachorro quando era criança, e a partir desse dia, nunca mais fiquei em paz ao me deparar com qualquer tipo ou raça de cachorro solto. Sou muito medroso, admito, talvez até exagerado, mas fazer o quê. Normalmente eu percebo a presença desses animais com uma certa margem de segurança. Hoje cedo, treinando na Av. Gastão Vidigal, perto do aeroporto velho, por puro instinto avistei a uns 300 mts. dois rotweiler como os da foto, dando a tradicional "voltinha", e o dono deles, cadê? Possivelmente vendo os "bichinhos" felizes pela rua. Fiz uma manobra interessante para cortar volta dessas "doçuras", não quis pagar pra ver. Vale lembrar que mesmo sendo muito cedo, o movimento nessa região é grande. Tem idosos caminhando, pessoas indo para o trabalho, crianças indo para escola, etc. Se os cães avançaram em alguém, até acredito que não, mas não dá para confiar. Quantos casos noticiado na mídia nacional e internacional sobre ataques ferozes do "amigo do homem" ao homem, quantos de nós já passaram sufoco e levaram o famoso "carreirão", inclusive o último, foi no dia de carnaval desse ano, quando fazíamos o tiro de 5000 nessa mesma região, quase fomos mordidos por uma dessas "gracinhas", aí do outro lado da rua ficou o dono do animal gritando: Volta aqui "totó", e voce acha que ele voltou, com umas "canelinhas secas" à mostra? Não sou contra cachorro, inclusive eu tenho um poodle em casa, só acredito que é necessário um pouco mais de senso de responsalidade e muito cuidado, só isso. Tem um outro ditado que um outro amigo me dizia: "O SEGURO MORREU DE VELHO E O DESCONFIADO ESTÁ VIVO ATÉ HOJE. Pensem nisso. Um grande abraço à todos e fiquem com Deus.

2 comentários:

Carlos Lopes disse...

Verdade, o seguro morreu de velho, bom post

Edna Martins disse...

Olá tudo bem, vim lhe fazer uma visita e aproveitar o teu relato sobre os animais que concordo plenamente com você e dizer que na minha última competição em Tarabai dia 22 de março, eu estava competindo por volta do 8km eu já vinha correndo mais forte, quando derrepente passando em frente a uma casa (que inclusive os donos dela estavam assistindo a corrida sentados na calçada) um desses cachorros que você citou, veio até mim correndo atras com um latido de feroz, eu cheguei a gritar de susto, os outros atletas que vinham atras também se assustaram, acho que com meu grito, enfim continuei a corrida, me tirou a concentração, mesmo assim fiz o meu melhor tempo de 10km até o momento 41'46, pensei naquele momento de acabar a prova e ir falar com os possiveis donos do animal, porém com a espera da premiação acabei me esquecendo. Na verdade pessoas que deixam seus animais livres deveriam ser punidos, parece até que nós que temos de não estar na rua, pode uma coisa dessa!
Beijo grande, se cuida, bons treinos.
Edna